isacosta.net » the geek side
7.11.06
categorias: ,
Segundo este artigo, muitas pessoas estão a abandonar os serviços de social networking onde estavam registadas, quer por sentirem que a sua privacidade estava comprometida, quer pelos ataques de spam e publicidade a que estavam sujeitas.

Lembrou-me de uma conversa que tive há uns dias com um amigo, que me dizia para não me admirar de deixar de vê-lo no Hi5, pois tinha apagado a conta. O motivo da sua decisão foi porque estava farto de ter pessoas estranhas a ver o perfil dele e deixar comentários, nem sempre apropriados.

Apesar disso ser basicamente a essencia do social networking, existem pessoas que não se sentem confortáveis com a ideia de ter estranhos a saber da vida deles, e quando vêm o seu espaço a ser invadido, acabam por desistir e remover as contas. Muitas registam-se impulsionadas pela ideia de encontrar amigos, colegas, conhecidos na rede, mas acabam com a lista de amigos cheia de estranhos.
Aconteceu comigo. Ao principio até achava piada, e se o perfil da pessoa me agradasse, aceitava o pedido. Até que chegou um dia que decidi deixar apenas pessoas conhecidas, e fiquei com a lista reduzida a metade.
A ideia de apagar a minha conta já me passou pela cabeça mais do que uma vez, ainda não o fiz porque realmente tenho encontrado muita gente de outros tempos, que já lhes havia perdido o rasto. E isso a mim interessa-me!

Contudo, a afluência a este tipo de serviços não está comprometida. O número de pessoas que se registam diariamente é muito superior ao das que apagam os seus registos. E a avaliar pela quantidade de pedidos que tenho recebido para me juntar ao FaceBox, entre outros, este fenómeno atrai cada vez mais gente!

Apesar do conceito do social networking já andar por cá há uns anos, mas ainda está só no principio. Há uma lei que diz que praticamente todas as modas na internet são efémeras e o que está hoje no centro das atenções dos cibernautas, amanhã pode ter passado à história. Bem, isso parece não estar a surtir efeito nas comunidades virtuais.
O social networking veio para ficar, mas vai mudar de contornos. O que já não falta por aí são sites comunitários, como o Hi5, o MySpace, ou o Facebox, uns generalistas, outros temáticos, mas acabam todos por não conseguir oferecer muito mais do que espaço para criarmos o nosso perfil, colocar informação pessoal, fotos, manter um blog, receber ou escrever comentários, etc., e andar por lá à procura de pessoas. Isto às tantas torna-se aborrecido, e acaba por não conseguir cativar a atenção dos utilizadores, por não passar do mesmo..
O futuro do social networking reside em comunidades como o Second Life ou serviços similares, que oferecem a possibilidade dos seus utilizadores de viverem vidas paralelas à sua, num mundo virtual. Esta nova geração de serviços tem tudo para ter sucesso, pois cada vez mais as pessoas tentam alienar-se das suas vidas, e encontram ali um escape.
Ligamos o programa e sem darmos por isso, perdemos ali umas boas horas, a explorar, a desenvolver a nossa personagem, a conversar com este e com aquele. Também ali se encontram pessoas e se travam amizades.
Mas não deixa de ser um espaço onde se vivem vidas falsas, onde se criam ilusões, onde a nossa privacidade também pode ser violada. Usar os esses serviços de forma consciente é meio caminho andado para evitarmos problemas..

Cada vez mais estamos a caminhar para um mundo tipo Matrix. Não digo que seja tão dramático, mas chegar a casa, sentar-me confortavelmente, ligar-me a uma máquina e ir curtir com o meu alter-ego para outras bandas parece-me bastante apetecível.

Provavelmente nunca nos vamos ver livres de ataques à nossa privacidade, de publicidade ou spam...é o preço que temos que pagar pela utilização destas comunidades..
link do postPor Isa, às 04:13  comentar

De dextro a 7 de Novembro de 2006 às 12:56
Sabes que isso já existe certo? Chamam-se MMORPGs como o World of Warcraft LOOOL :lol: (e eu sei porque já me vi envolvido em coisas engraçadas no Anarchy Online por exemplo :) ).

Quanto ao Second Life já dei lá uma voltinha umas quantas vezes mas nunca me cativou o que se pode prender com a exigencia do programa, não acredito que haja muita gente a querer algo tão complexo para fazer algo tão simples como conheçer pessoas... Por outro lado tens sites como o Habbo que eu acho que vão continuar em crescendo.

De Isa a 7 de Novembro de 2006 às 13:28
Eu sei, tenho uma irmã viciada nisso, WoW, que também já foi viciada em Ultima Online..é coisa que tenho assistido de perto, só que esses são considerados MMORPGs, já o Second Life é considerado MMOG ou MMOSG, o que é um bocadinho diferente..mas no artigo não quis entrar em detalhes sobre o Second Life, o meu objectivo era um olhar geral sobre fenómeno do social netowrking em si..

Sobre a complexidade da coisa, dá-lhe tempo que ela há-de ser tão acessivel como o hi5 ou o myspace..ou mais!

 

Isa. Webdesigner, geek, apple fangirl assumida, necessita tanto de uma ligação à internet como do ar que respira. Adepta das novas tecnologias e sempre atenta às novidades!

online