isacosta.net » the geek side
29.3.08
categorias: , , ,
Tive finalmente a oportunidade de experimentar o Aperture 2. Não o fiz antes porque não tinha espaço em disco suficiente para fazer backup à library, não fosse alguma coisa correr mal (quando se tem uma library com 50Gb de fotos não nos podemos por com brincadeiras)...

Sou utilizadora do Aperture há pouco mais de um ano, e quando a minha library atingiu os 40Gb de peso, a coisa começou a descambar, o meu Macbook Pro (Core Duo 1Gb RAM) caga-se completamente quando abro a aplicação, quando percorro as minhas fotos, ou quando tento editar. E por fim já era um suplicio exporta-las. Daí a decisão de fazer o upgrade para experimentar o novo motor, que prometia melhor desempenho

Mas primeiro tive que arranjar um disco externo, coisa que ainda demorou alguns dias, mas lá consegui e instalei esta nova versão do meu beloved Aperture.

As melhorias sentem-se rapidamente: é como da noite pro dia! Nunca imaginei que ele fosse tão rápido a listar e percorrer os thumbnails. Não tem mesmo NADA a haver com o antigo!

A interface gráfica foi optimizada. Os painéis de projects, metadata e adjustments foram reunidos num só, organizado por tabs, para permitir um maior aproveitamento da área disponível para aquilo que é mais importante: as fotos. Desta forma ficamos com muito mais espaço para nos dedicarmos à edição.

A listagem de thumbnails tem agora outro modo de visualização, na horizontal, que torna mais fácil a navegação de fotos e economiza área de trabalho, porque antes, para poupar espaço, mantinha a listagem vertical com uma só linha, o que tornava a barra de scroll minúscula e difícil de manusear com precisão.

Agora também podemos fazer um browse rápido pelos nossos projectos na library com hipótese de pré-visualisar rapidamente as fotos que estão lá dentro, deslizando o cursor na horizontal. Esta feature, chamada skimming, foi adoptada do iPhoto.

Nos ajustamentos existem novidades. As ferramentas de correcção vêm melhoradas, especialmente a nível de exposure e enhance, muito poderosas e que nada têm a ver com as que existiam antes. Outras opções novas incluem o retouch, vignette e devingette. Gosto especialmente da vingette, e costumo simula-la com recurso ao Photoshop.

Vem com um plug-in chamado Dodge & Burn que funciona como um mini-Photoshop, e permite fazer pequenas correcções nas fotos, usando diversos pincéis. Fiquei bastante agradada com a nova funcionalidade que me poupa tempo a ir editar as fotos no Photoshop. O Aperture 2 suporta também plug-ins desenvolvidos por terceiros!

Os ajustes de RAW também vêm melhorados mas ainda não experimentei.

Outras melhorias incluem a lupa, que está agora mais leve e com um funcionamento diferente, mais intuitivo na minha opinião. O modo de fullscreen, que antes levava séculos a abrir e a fechar, está muito mais rápido, e apresenta uma barra de ferramentas auto-hide que dá um jeitaço, porque tem atalhos para os painéis de ajuste que antes só com short-cuts é que ia lá.

Destaque para a exportação de fotos, que agora ocorre em background. Assim podemos continuar a usar a aplicação e não ter que ficar à espera que exporte as fotos todas.

E ainda falta muita coisa por testar, a Apple diz que são 100+ features novas, verei com o tempo.

Sente-se a rapidez acima de tudo...até parece que o meu core duo ganhou outro core. A sério, excelente aplicação nem parece o Aperture que eu conhecia.. Ah, e não correu nada de mal durante a instalação e actualização da library :)

And in other news, a Adobe deciciu-se finalmente a lançar o seu Photoshop Express como andava a prometer há meses (ou anos).

Já experimentei assim por alto e até achei piada. A interface tem um look and feel de aplicação profissional, e é muito fácil de usar. O processo de edição está muito simplificado o que é muito positivo para quem não percebe muito de edição. É uma boa ferramenta para quem precisa de dar retoques ocasionais nas fotos e não leva a manipulação de imagem muito a sério, assim como para armazenar as nossas fotos, pois o serviço oferece 2Gb de espaço para o efeito, podendo as fotos lá alojadas serem utilizadas noutros serviços. Podemos criar álbuns e podemos importar fotos de outros serviços para lá.
Também tem uma componente social, os álbuns podem ser partilhados, mas resume-se a isso, não há comentários, nem amigos, nem nada do que um serviço como o Flickr já nos habituou, apenas podemos favoritar as fotos e pouco mais. Mas pode ser uma questão de tempo..

4.1.08
categorias:
Há cerca de um ano atrás escrevi um post sobre as aplicações web 2.0 que já não conseguia dispensar. Só que durante o decorrer de 2007, essa lista sofreu algumas alterações, deixei de usar alguns serviços e passei a usar outros, apesar da maioria se ter mantido.

As novidades:

Del.icio.us
Pelos vistos fartei-me de andar a sincronizar ficheiros de bookmarks e dei a mão à palmatória. Ainda experimentei o Ma.gnolia, mas acabei por dar uso à conta de del.icio.us que já tinha criado há algum tempo. De facto, é um serviço bastante útil e poupa-me imenso tempo.

Netvibes
Acompanhei o seu nascimento, mas não me convenceu... talvez porque sempre preferi aplicações de desktop para ler e gerir feeds em vez de web based, mas o certo é que comecei a fartar-me da interface de gestão de feeds do Newsgator, e por sugestão do Nuno, que era um utilizador satisfeito, decidi experimentar.
É caso para dizer que já lá vão uns meses de utilização e estou bastante satisfeita com o serviço, especialmente pelo modo de apresentação dos conteúdos, pelos widgets, pela facilidade de utilização, pela rapidez, etc etc

SAPO Blogs
Integrei a equipa dos blogs do SAPO em Março e em Maio já estava a transferir um dos meus blogs para lá. A minha decisão prendeu-se com o facto de estar inserida na equipa, não porque me tenha sentido na obrigação de o fazer, mas sim porque ao exercer o meu trabalho descobri as potencialidades da plataforma: a facilidade em costumizar os templates (através de CSS) ou em meter tralha na(s) sidebar(s), o facto de não me ter que preocupar com a manutenção do blog, e principalmente porque conheço bem a equipa que está por trás do serviço e sei que os meus blogs (yep, entretanto migrei outro) não podiam estar em melhores mãos.

Continuo utilizadora satisfeita da Wikipedia, do GTalk, e do Technorati, mas deixei de utilizar o Digg, o Newsgator/NetNewsWire, o Plazes, o MyBlogLog. O Feedburner para lá caminha.
Ainda vou brincando com o Twitter e o WordPress deu-me umas dores de cabeça valentes...

E restam dois, que merecem especial destaque:

O Flickr, esse serviço impressionante que não me pára de surpreender. Em 2007 fartou-se de lançar novas funcionalidades novas e esteve constantemente a ser melhorado. Cresceu bastante, amadureceu e é definitivamente um dos meus serviços favoritos.

E finalmente o Last.fm. Uma destas noites lembrei-me a subscrever o serviço, para ver o que me trazia de novo, e no minuto seguinte já estava a notar alterações. Para além das funcionalidades que ganhei na aplicação, passei a receber música mais seleccionada em vez de remisturas. Passo os dias sintonizada nele :)

15.3.07
categorias: ,
Lembram-se de ter falado aqui na edição dos bloggies de 2007? Os resultados já saíram! Uns apanharam-me de surpresa, outros nem por isso :)
link do postPor Isa, às 00:23  comentar

9.3.07
categorias:
Esta história toda da Registerfly deixa-me agoniada... durante anos fomos clientes, porque eles tinham bons preços e o serviço até funcionava bem. Chegamos a ter lá 40 domínios registados, e recomendávamos quando nos pediam opiniões sobre registrars... há coisa de um ano e meio para cá, desleixaram-se completamente, "roubaram-nos" domínios, demoravam semanas para responder a trouble tickets e quando finalmente o faziam, as respostas vinham sempre inconclusivas, impediam o acesso aos domínios, etc etc...

Quando o datacenter onde temos o nosso servidor dedicado começou a fornecer serviços de registo de domínios para clientes (do datacenter), achámos que seria pertinente ter tudo centralizado, e em boa hora o fizemos, porque as reclamações e os escândalos relacionados com a Registerfly começaram a vir ao de cima.
Agora, não tarda nada, estão a "fechar a "loja", e temos estado a tentar resgatar 4 domínios que ainda lá restam, e não tem sido fácil porque os pedidos de desbloqueio de domínio não têm efeito, e nem tão pouco se consegue obter os auth codes dos domínios, logo não é possível transferir estes domínios.
Claro que mesmo com boas intenções, há que tirar proveito da desgraça dos outros, e o Go Daddy (o maior registrar do mundo) não é excepção e está a fazer uma campanha para "refugiados" da Registerfly e dizem que se os pedidos forem negados eles intercedem junto da ICANN para que os domínios consigam ser transferidos à mesma.

Enviámos um email ao serviço de registo de domínios do nosso datacenter para ver se eles conseguem fazer uma politica semelhante a respeito deste assunto, a ver no que dá. Se não conseguirem transferimos esses domínios para o Go Daddy que não faz mal nenhum. O Bob Parsons da Go Daddy também é homem de "putas e vinho verde" mas ao menos é franco e aberto a esse respeito ao contrário do Kevin Medina, CEO da Registerfly, que gosta de lipoaspirações no rabinho e o fez desenfreadamente pela calada com fundos da empresa..

É triste...mas dá para ver que não são apenas os tugas que são sacanas..

Ler mais sobre o assunto por aqui:

Registerflies
Bob Parsons

The Register
BrightCove
Blog ICANN

7.3.07
categorias: , ,
Desde há uns meses para cá que noto que algumas fotos que coloco no Flickr não ficam fiéis às originais. Ao principio não ligava muito, pensei que se tratava de algum problema do serviço ao processar as fotos que enviamos, o Flickr aplicar-lhes algum "tratamento" marado que as deixavam um pouco deslavadas (perdiam a alguma da saturação original). Mas quando comprei a EOS 400D, comecei a ser mais exigente com as fotos que ponho online, e realmente, vejo que o aspecto delas lá, não tem nada a ver com as originais que tenho localmente, o que me aborrece um bocado..

Quis saber qual a causa disto, e comecei por ver como as fotos estavam a ser exportadas pelo Aperture. Experimentei diversas opções de perfis ColorSync e o único que estava ligeiramente mais fiel à original quando vista no Flickr, era o perfil RGB genérico, e não o sRGB como seria de esperar. Apesar da situação incomodar-me, acabei por não perder muito mais tempo com isso..

Acontece que há uns dias, andei a tirar fotos em formato RAW e aí é que as coisas se complicaram, porque o Aperture não reconhece os RAW's da 400D e tive que recorrer ao Photoshop. Tratei e exportei os RAW'e em JPGs, so far so good. Depois fui "uploadar" as fotos para o Flickr e, surpresa das surpresas, as fotos estavam todas com umas cores francamente más e nada tinham a ver com as originais.
O pior foi quando me lembrei de ir abrir as fotos no Safari. Estavam igualzinhas às originais.
Depois de inúmeras tentativas para salvar uma foto cujas cores ficassem com o resultado esperado, a coisa terminou num screenshot no Firewoks. Sei bem que foi uma solução muito pouco profissional, mas os desespero às vezes levamos a fazer destas coisas..

comparação

Ok, então o problema não é do Flickr, nem do Aperture ou do Photoshop ou do iPhoto)..é do browser, ou melhor, dos browsers, porque descobri que apenas o Safari é o único que suporta bem os perfis de cor. Todos os outros, Mozilla, Firefox, Camino, Internet Explorer, Opera, etc, são "color unmanaged", e são a causa da visualização desaturada das fotos quando publicadas na net (se as gravarmos localmente e abrirmos num programa qualquer, as fotos estão com a saturação correcta).
Uma visita pelos foruns do Flickr mostrou-me que não estou sozinha no universo e que muita gente se debate com o mesmo problema que eu. Basicamente, esta questão anda a infernizar a vida a muita gente, que tal como eu, atribuíam a culpa ao Flickr, mas as respostas são quase todas iguais: a culpa é dos browsers e dos perfis de cor, e dos color managements e dos color spaces e uma data de termos que eu ainda não apanhei lá muito bem..

Reparei que as fotos que estamos a trabalhar no Photoshop, vão aparecer no Flickr (excepto se visto com o Safari) como se as tivéssemos gravado pela via do "Save for the web", uma opção que nunca escolho, precisamente por as fotos nunca ficarem com as cores originais e por perderem o EXIF.
Alguns utilizadores do Flickr sugeriram truques para contornar o problema, já experimentei alguns mas sem sucesso..

Parece-me também que esta questão é mais frequente por entre mac users, embora algumas pessoas tenham dito que afecta igualmente utilizadores doutros sistemas operativos..não sei e gostava de saber...acho que vou investigar mais um bocadinho..

A começar por visitar estes links:

Gballard
International Color Consortium
Color space

[UPDATE]

Pronto, já fiz a experiência em Windows.
Gravei a foto do flickr e sobrepus à que está online. Resultado, as cores da imagem local estão exactas.
Abri a foto no Photoshop (cujas definições das cores são idênticas às que tenho no PS no mac) e fiz "Save as" e "uploadei". Resultado: igual à que já estava online..
Provavelmente a questão de isto ser notado com mais frequência por entre os mac users, é porque os users de outros sistemas não têm o Safari para ver as diferenças..

Portanto, missão agora é descobrir como gravar as fotos de modo a não perderem a informação de cor nem o EXIF!


 

Isa. Webdesigner, geek, apple fangirl assumida, necessita tanto de uma ligação à internet como do ar que respira. Adepta das novas tecnologias e sempre atenta às novidades!

online